Musculação para corrida: O que não pode faltar em seu treino?

musculação para corrida melhores opções
4 minutos para ler

Não é de hoje que a preocupação em fazer um treinamento complementar a sua modalidade preferida tem aumentado. Com o corredor, não é diferente. E apesar da Gama de opções que existem hoje, a musculação para corrida ainda é o “carro chefe” da maioria. Mas quais tipos de exercícios não podem faltar nesse treino? É o que você irá descobrir a partir de agora. 

“Ah, mas tem que fortalecer mesmo? Eu não gosto”.

“Não tenho tempo para fazer reforço muscular”.

“Subo muita escada todo dia. Não preciso fazer musculação”.

Essas e outras frases saem diariamente da boca de corredores que ainda relutam em começar um trabalho de fortalecimento muscular. Mas a verdade é que a cada dia, na corrida e em qualquer outro esporte, um trabalho de base fora do esporte principal é um pilar que o treinador não abre mão. 

Nesse cenário, a musculação está entre as atividades mais praticadas para esse fim. O uso de equipamentos que ajudam no alinhamento do corpo, orientações próximas de instrutores e a praticidade de treinar em vários horários estão entre os principais motivos para a escolha.

Porém, ainda é comum imaginar que basta fazer uma planilha, e pronto! Mas não é bem assim. O trabalho direcionado e certos elementos na musculação para corrida são essenciais. 

Veja agora o que não pode faltar em seu planejamento. 

Exercícios globais

Quando pensamos em treinos específicos de força para corredores, é natural imaginar que existem exercícios “especiais”. De fato, alguns movimentos específicos podem ajudar a melhorar a postura ou algum outro elemento. 

Porém, de nada adianta focar em exercícios que ativam poucos músculos se não forem complementados por exercícios globais. 

E o que são exercícios globais?

São aqueles que trabalham diversos músculos de uma vez só, como o agachamento ou uma flexão, por exemplo. Durante a corrida, praticamente o corpo todo é solicitado. Logo, não faria sentido num trabalho de fortalecimento o corredor estimular os músculos apenas de forma isolada. 

Por isso, exercícios globais são a “espinha dorsal” de toda planilha de musculação para corrida. 

A musculação para corrida deve focar na potência

Antes pouco citada quando se pensava num planejamento para um corredor, a potência vem ganhando protagonismo no esporte.

Mas por que isso vem acontecendo?

Simples: todo esporte exige potência. Para quem esqueceu um pouquinho das aulas de Física, a fórmula dessa capacidade é P = F (Força) X V (Velocidade).

Jogadores de basquete precisam de potência para saltar mais rápido, jogadores de futebol para chutar mais forte e pular mais rápido. 

E o corredor? Especificamente para gerar mais velocidade. Quanto mais potência ele desenvolver, mais rápido ele tocará o pé no solo e gerará impulso, evitando desgastar mais rapidamente músculos e articulações.

Pliometria, saltos e movimentos com alta velocidade e carga baixa/ média compõem o maior leque desses exercícios. 

Exercícios Unilaterais

Por fim, os exercícios unilaterais. Eles têm uma participação super importante para o correr. Seu principal papel é trazer equilíbrio para o corpo do corredor na questão do lado direito / esquerdo e anterior / posterior.

Muitas pessoas acreditam que as lesões em corredores são decorrentes de uma postura inadequada ou altos volume de treino. 

Porém, o desequilíbrio muscular afeta de maneira muito maior do que se imagina. Quer um exemplo? Um lado direito mais forte que o esquerdo pode mudar o gesto, além de jogar o impacto bem mais para um lado do corpo. Por isso, o corredor deve usar e abusar de exercícios unilaterais. 

Viu a importância da musculação para corrida? Tem o hábito de colocar em prática essas dicas? Comente com a gente! 

Você também pode gostar

Deixe um comentário