Lesões na corrida? 3 mudanças que todo corredor deve fazer

5 minutos para ler

Se machucar durante ou por conta da prática de um esporte é algo muito ruim e, em alguns casos, até traumático. E quando falamos de lesões na corrida, infelizmente é cada vez maior o número de corredores que acabam se lesionando.

Além de impactar diretamente na performance, lesões também podem levar a interrupção da atividade. Com certeza isso desmotiva o corredor e pode levar até a abandonar a atividade, dependendo da gravidade e recorrência do problema.

Para quem pratica a corrida ou qualquer outra atividade física, infelizmente se lesionar está entre os riscos, mesmo entre corredores que procuram treinar de forma adequada. Afinal, se prevenir lesões fosse uma ciência exata, atletas nunca se machucariam, pois tem a disposição todo suporte e apoio especializado do mais alto nível.

Porém, grande parte desse problema, principalmente entre corredores amadores ou iniciantes, decorre de alguns erros, dos mais complexos aos banais. Nessa matéria, vamos destacar 3 mudanças que todos corredores devem fazer para se manterem saudáveis, lesionando cada vez menos.

 

1. Quer evitar lesões na corrida? Evolua gradualmente nas distâncias

Com o avanço da tecnologia, tudo parece ( e em alguns casos é ) cada vez mais simples e prático. Mas quando falamos de corrida, não é bem assim…

Atualmente, é muito comum que corredores em seu primeiro ou segundo ano de corrida, seja por ansiedade ou influência das redes sociais, queiram se desafiar em distâncias com alto grau de dificuldade. Isso ocorre em quilometragens que vão desde 10 km até uma meia maratona ou maratona. Na maior parte dos casos, ele não está maduro fisicamente para isso.

Acelerar etapas é um dos principais erros que levam a lesão. Isso porque articulações, músculos e tendões, em comparação ao sistema cardiovascular, precisam de mais tempo de adaptação antes de encarar uma nova distância e, consequentemente, um volume maior de treinos.

Por isso, respeite e avance gradualmente. Permanecer entre 6 a 8 meses antes de avançar para uma nova distância pode ajudar muito a evitar lesões na sua corrida. E nunca é demais lembrar: a evolução do corredor não se mede em aumento de quilometragem. Por isso, se sua distância atual lhe trás prazer e os resultados que sempre buscou na corrida, não existe motivos para mudar para outras distãncias.

Mas para quem realmente pretende sair de 5km e chegar algum dia a correr uma maratona, aumentos semanais de 5 a 10% na quilometragem do volume semanal, reduzem bastante a chance de lesão. Além disso, essa inclusão deve vir sempre intercalada com períodos regenerativos, onde o volume reduz em 30 até 50% em comparação a semana anterior.

 

2.Treine velocidade com moderação

Mesmo entre corredores experientes, existe uma visão equivocada de sempre entregar o máximo de energia nos treinos de corrida.

Exigir o limite do seu corpo em todos os treinos pode levar facilmente a uma lesão. Isso ocorre porque músculos e articulações acabam não se recuperando do impacto cumulativo ou agudo dos treinos. Dessa forma, a parte óssea acaba sendo comprometida e acionada de forma desnecessária.

Fazer uma corrida intervalada ou treinos longos, visando se preparar para uma maior distância, dependendo do seu objetivo, são essenciais. Porém, após treinos desafiadores, seja em intensidade ou volume, procure realizar corridas mais leves. Isso promoverá uma recuperação ativa, evitando lesões na corrida decorrentes de desgaste físico.

O mesmo vale para semanas de treino. Quando forem muito exigentes, realize uma semana mais leve logo após a mais forte.

 

3.Ouça seu corpo

Parece uma dica banal, mas é uma das mais importantes e poucos corredores seguem, infelizmente. Ter uma planilha de corrida específica para o treino é sempre recomendável. Porém, ela não pode interagir em tempo real com aspectos diários como stress, insônia, má alimentação, cansaço excessivo.

Isso afeta diretamente o rendimento e recuperação em seus treinos de corrida. Por isso, quando sentir que está muito cansado e o treino se mostra desafiador, peça adaptações a seu treinador, ou reduza você mesmo a intensidade ou volume.

O mesmo vale para dores durante o treino. É muito comum lutar contra uma dor e associar a isso a superação. Mas entre a capacidade de passar por um momento ruim e uma lesão se instalando, há uma linha muito tênue e deve ser respeitada.

Por isso, nada de ficar forçando seguidamente seu corpo. Uma das sinalizações mais importantes para distinguir dores passageiras de lesões tem relação com o padrão. Se as dores ocorrem sempre no mesmo local e vem aumentando em intensidade ou frequência, é sinal que algo não vem bem. Nessa hora, cuidados como fortalecimento muscular, ou passar num ortopedista, se fazem necessários.

Viu como deixar as lesões na corrida longe pode ser mais fácil do que imagina? Muita atenção a esses sinais e procure sempre apoio especializado para reduzir seus riscos. Na Runplace, temos especialistas para cada distância, e que podem ajudar você a evoluir com qualidade e segurança.

Você também pode gostar

Deixe um comentário