Dicionário do corredor: Domine o dialeto

Dicionário do corredor: quais os principais nomes
7 minutos para ler

Começar a correr não é apenas fazer uma atividade física, mas também fazer parte de um grupo. E assim como toda “tribo”, certos termos só têm sentido para quem pertence aquele universo, como uma espécie de Dicionário do corredor. Quer tal dominar todos os termos e não ficar mais confuso naquela conversa pré, durante ou pós-treino de corrida? Então confira agora essa matéria.

“Quebrei no treino”, “Vi um monte de pipoca na prova”, “fui Pacer do meu amigo na corrida”. Se você está está dando os primeiros passos na corrida, muitas palavras são completamente estranhas. Já corredores com certa experiência conhecem boa parte desses termos. É o que chamamos de dialeto do corredor. No mundo, existem quase 7 mil línguas. Porém, esse número não conta a “língua” do esporte. E não se trata apenas da corrida. O futebol, basquete, vôlei, tênis… todos têm termos próprios entre seus praticantes.

Por que aprender essa “nova lingua”?

Além de entender melhor o esporte, entender a linguagem do corredor auxilia no desempenho, dando mais segurança e informações sobre a prática. Além disso, uma melhor comunicação leva a mais conhecimento e entendimento de uma modalidade. Não é apenas uma forma diferente de falar.

Imagine, por exemplo, participar de um jogo de tênis e ouvir que seu amigo tomou um “pneu”, ou perdeu aquele ponto porque “encurtou o braço”. Não saber esses termos compromete a interação com seus colegas, bem como dificulta correções que poderiam ser feitas. O mesmo acontece na corrida de rua. Portanto, dominar o dialeto do corredor ajuda a se comunicar e entender muito mais sobre o dia a dia dessa tribo.

Dicionário do corredor: Pace

Sem dúvida, a primeira palavra que você deve conhecer quando falamos do ambiente de corrida. Pace é o tempo que se leva para percorrer um quilômetro, e é descrito em minutos: segundos. É disparada a palavra mais usada num grupo de corrida.

Uma dica importante é entender o pace como uma espécie de Q.I da corrida, pois mostra seu potencial atual na modalidade. Geralmente o pace não é mencionado por quilômetro, mas por distância. Conversas como “meu pace para 10km é 5’30” são comuns e frequentes. Por isso, é o termo mais importante do seu dicionário do corredor.

Longão

Dicionário do corredor e as palvras mais usadas

Se pace é a primeira palavra a ser aprendida, o termo longão (ou longo), é a segunda. Ela se refere a um tipo de treino, geralmente feito no sábado ou domingo, focado na distância mais longa que o corredor enfrentará na semana.

O longão também é o treino mais próximo da meta de distância que o corredor busca. Por isso, é considerado fundamental para alcançar qualquer objetivo, principalmente em quilometragens mais longas, como meia maratona ou maratona.

Por ser focado em distâncias maiores, a intensidade costuma ser de leve a moderada, com exceção dos corredores mais avançados, que tem a capacidade de correr em ritmos mais fortes, mesmo em provas mais longas. Portanto, saber a intensidade correta do seu pace será essencial para que seus treinos evoluam de forma equilibrada.

RP ou Recorde Pessoal

Após correr uma distância pela primeira vez, é natural que o próximo passo seja melhorar sua velocidade. É nessa hora que entra o RP, ou recorde pessoal. Como o nome já diz, ele destaca o melhor tempo para correr certa distância. Trabalhar com esse treino é muito importante, pois dará parâmetros reais de seu potencial antes de se desafiar numa nova quilometragem.

Exercícios de fortalecimento para corrida, bem como alimentação e treinos intervalados devem fazer parte da estratégia para melhorar a velocidade. Porém, é comum que, na ânsia de melhorar os resultados na busca do recorde pessoal, se acabe queimando etapas. Isso se dá com o aumento excessivo de intensidade, ou mesmo correndo todos os dias.

Portanto, respeitar o corpo e alternar ritmos irá ajudar na recuperação, fazendo com que o RP chegue na hora certa. Não à toa, ela é uma das palavras mais faladas do dicionário do corredor.

Tempo Run

O tempo run pode ser tratado como um complemento ou etapa integral do RP.

Se trata do ritmo que você deseja correr uma prova ou treino. Porém, diferente do recorde pessoal, no tempo run o corredor tem um Pace específico em mente, com o objetivo de atingí-lo de forma parcial ou integral durante o treino, independente da distância total.

Treinos em Tempo run dão confiança e facilitam correções na sua corrida. Isso porque, além de ajudar na descoberta do ritmo ideal para uma prova, atua como uma espécie de avaliação, mostrando a evolução de seus tempos em determinadas distâncias.

Dicionário do corredor: o “Pipoca”

Termo cada vez mais conhecido entre participantes de corrida de rua, o pipoca é o corredor que entra de “penetra” numa prova, e utiliza a estrutura para fazer seu treino. Em casos mais graves, temos pipocas que pegam medalha e o máximo que puderem da estrutura do evento.

É uma prática condenável, pois independente do uso da via pública, houve a locação da área e se trata de um evento privado. Portanto, nosso conselho é que não apenas conheça o termo, mas evite qualquer tipo de estímulo à prática.

Atualmente, temos diversas organizadoras de eventos com preços acessíveis na hora de participar de uma prova, principalmente nas corridas virtuais.

“Quebrar” na corrida

Usado entre corredores mais experientes, o termo é utilizado para citar a saída do ritmo planejado para um treino ou prova. Em outras palavras, é quando o corredor não coloca em prática o proposto por ele ou seu treinador de corrida.

Alguns consideram quebra apenas casos onde precisou andar, ou quando abandonou a prova por cansaço ou lesão. Já outros consideram a perda de intensidade e, portanto, uma corrida abaixo do planejado como outra forma de quebra.

Tudo depende de seu perfil e grau de exigência.

Dicionário do corredor e suas variáveis

Soltura ou trote leve

Como o nome sugere, é um tipo de treino ou estímulo utilizado ao final de treinos mais intensos. O objetivo retornar gradualmente o corpo aos níveis pré- treino.

O trote leve também pode ser utilizado como uma sessão de treino completa, após uma semana ou dia anterior muito desgastante. Esse tipo de treino também é conhecido como regenerativo.

Pacer

Para alguns, é o colega de treino. Para outros, seu grupo de corrida. Independente da opção, o pacer tem papel fundamental para a melhoria da velocidade.

Por definição, o Pacer é aquele corredor ou grupo que “puxa” você num ritmo acima do que está acostumado, motivando-o a atingir intensidades mais altas de treinamento. O ponto mais positivo do Pacer é o motivacional. Muitas vezes, ele consegue extrair aquilo que dificilmente você conseguiria sozinho.

Dicionário do corredor: Fazer uma fisio

Fala muito comum, principalmente entre corredores de meia maratona e maratona, esse termo faz parte de qualquer dicionário do corredor.

“Fazer uma fisio” nada mais é que passar num fisioterapeuta para algum tipo de suporte, seja na redução de dores ou aplicação de técnicas de recuperação. Pouco se fala sobre a fisioterapia como prevenção de lesões na corrida, mas atualmente existem diversas técnicas com focos muito mais preventivos. Portanto, você não precisa fazer fisio apenas quando está machucado.

A atuação de um núcleo de saúde completo ( fisioterapeuta, nutricionista, médico ) está mais difundido, extraindo o máximo de potencial do corredor.

Tem algum outro termo conhecido e que devia estar no dicionário do corredor? Está mais à vontade para usar essa “gíria” com seus parceiros de treino. Deixe seus comentários aqui.

Você também pode gostar

5 comentários em “Dicionário do corredor: Domine o dialeto

  1. Muito bom lembrar desses nossos dialetos de corredores, esperero que os meus colegas entendam agora o pq a gente fala assim antes das corridas e depois dela…

Deixe um comentário