4 ajustes na corrida que todo corredor deveria fazer

Veja como os ajustes na corrida são fundamentais para evoluir
4 minutos para ler

Atividade física não é nem nunca será uma ciência exata. A diferença de resultados entre pessoas é enorme e, portanto, necessário avaliar o tempo todo novos métodos. Sendo assim, os ajustes na corrida para um corredor pode não funcionar em outro. Por isso, separamos 4 pontos para serem analisados regularmente em seu treinamento de corrida. 

O caminho mais fácil. Em qualquer área da nossa vida, é quase instintivo para o ser humano procurar soluções mais rápidas e práticas para seus problemas. 

Isso não está errado. Porém, no treinamento de corrida ou em qualquer atividade física, para que os resultados continuem aparecendo, principalmente depois de um certo tempo, os ajustes são mais complexos e envolvem observação, sensibilidade e um ótimo suporte. 

E se você é um daqueles corredores que já tentou diversos ajustes mas não consegue evoluir, separamos 4 ajustes na corrida que são fundamentais em qualquer momento, e que devem ser praticados de forma regular. 

1. Aumentar sua mobilidade articular 

É quase unânime a importância do alongamento na redução de dores e aumento da performance. Isso porque trás uma maior liberdade de movimento, pois contribui para tornar um músculo mais flexível. 

Porém, pouco se fala na mobilidade articular. Ela é tão ou mais fundamental para o corredor que uma boa flexibilidade.  Muitas regiões do nosso corpo funcionam como um terminal de ônibus: serve de ponto de encontro e cruzamento de diversos destinos. O quadril, por exemplo. Ele é cruzado por músculos da lombar, glúteos e pernas.

A falta de movimentos que “destravem” essa região pode implicar em músculos mais tensos nesses pontos, bem como dores decorrentes do menor espaço nessa área.

Diferente do alongamento, a mobilidade articular é desenvolvida com movimentos cíclicos, repetidos com uma alta frequência, e aumentando a amplitude a cada nova repetição. São raros os momentos onde o corredor deverá alcançar uma posição e ficar por certo tempo. 

A região da lombar, quadril e tornozelo são as que mais impactam para uma boa postura do corredor, e devem ser realizadas regularmente, de 2 a 3 x na semana, com sessões de 10 a 15 minutos, de preferência antes dos treinos. 

2. Ajustes na corrida: evitar correr “em pé”

Esse ainda é um erro muito comum entre os corredores, decorrente da falta de atenção ou mesmo orientação equivocada do treinador. 

Ter uma boa técnica na corrida passa por diversos requisitos. Mas um que sempre estará presente é a maior inclinação do corpo à frente. Ela é essencial para distribuir melhor o impacto nos músculos, aumentando a eficiência da corrida. 

Entretanto, muitos corredores enxergam que uma boa postura é quando seu corpo está ereto, na vertical. Não é bem assim. Uma corrida com o corpo muito reto trás prejuízos não apenas no rendimento, bem como pode sobrecarregar mais determinados músculos do que outros. 

Isso acontece porque, ao adotar essa postura, o corpo tende a subir muito mais, não se projetando à frente para ganhar velocidade. Além disso, o quadríceps acaba sendo mais sobrecarregado. 

3. Não se preocupar com o que come antes, durante e depois do treino

Muitas vezes a queda de potencial de um corredor pode estar onde menos se espera. E a alimentação é um dos principais motivos. 

Você sabia que, ao beber pouca água num dia mais ensolarado, o sangue pode ficar mais “grosso” e aumentar tanto a pressão quanto a frequência cardíaca? Que a ausência de suplementação após uma hora de corrida pode acarretar em queda da glicemia e até desmaio? São essas e diversas outras possibilidades que devem ser consideradas ao negligenciar a alimentação. 

Por isso, não deixe de dar uma atenção especial a essa parte de sua rotina. São ajustes na corrida que parecem simples, mas que podem ser a diferença entre um recorde pessoal numa prova e um desempenho pífio. 

4. Fazer ajustes na corrida, mas também nas planilhas de treino

Além de todas os ajustes já citados, ter uma planilha de corrida adequada às suas necessidades, respeitando cada fase de sua preparação, será a cereja do bolo dessas mudanças. 

Por isso, não deixe de procurar um treinador ou equipe de corrida especializada. Dessa forma, poderá trilhar um caminho muito mais seguro e compatível para você.

Se animou para fazer esses ajustes na corrida? Conhece outras estratégias que mudaram sua forma de correr? Comente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário